daytodayforever

Início » Uncategorized » Série Casos Clínicos – Cerato

Série Casos Clínicos – Cerato

julho 2013
S T Q Q S S D
« jun   ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

A HISTÓRIA DA MASSAGEM

Nenhum evento

Categorias

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 378 outros seguidores

Hoje falaremos sobre Cerato, que também faz parte dos 12 primeiros florais criados pelo Dr. Edward Bach.

Cerato esta ligado à pessoas que tem como característica falta de autoconfiança, dúvidas quanto a própria capacidade e insensatez.

cerato 1

Existem indivíduos possuidores de grande conhecimento, intuitivos, com opiniões próprias definidas e que no entanto, duvidam da própria capacidade. São capazes de cometer tolices por seguirem conselhos alheios em detrimento do seu julgamento próprio e acertado. Os indivíduos do tipo Cerato, quando descobrem que o conselho que seguiram não era o melhor , são propensos a dizer: “Eu sabia muito bem. Sabia que deveria ter feito assim e assim.”

caminhos-2

 

“Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos ganhar se não fosse o medo de tentar. “

_ Willian Shakespeare

Caso Clínico

cerato

Homem, 22 anos. Era filho de um médico bem sucedido. Quando nos procurou, estava se aproximando de seus exames finais em medicina. Estava muito infeliz porque sentia não ter nascido para ser médico. Seu desejo sempre fora ser engenheiro eletrônico; porém, em, consideração ao conselho do pai, acabou estudando medicina. Com isso, voltou-se, para sua própria infelicidade, contra sua convicção interior. Foi-lhe prescrito Cerato como remédio básico, a fim de dotá-lo de confiança nas próprias decisões, e Impatiens, porque tornara-se nervoso e irritadiço. Os remédios ajudaram-no a perceber o fato de não estar seguindo sua vocação; entretanto, ele sentia que lhe faltava coragem para efetuar a mudança necessária. Acrescentou-se Mimulus para o medo de mudanças e Larch para seus sentimentos de inferioridade. Tomou a medição por mais de dois meses. Quando voltou a escrever-nos, foi para contar que decidira abandonar o estudo da medicina. Fora para Londres  “assumir o trabalho que sempre quis fazer.” Estava aparentemente muito feliz e fez diversos novos amigos. Contou que se sentia muito bem e que finalmente, estava conseguindo êxito em sua vida.

(Caso clínico retirado do livro Manual Ilustrado dos Remédios Florais do Dr. Bach – Philip M. Chancellor)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: